UMA EXPERIÊNCIA NO SOCORRÃO DE IMPERATRIZ


Por estes dias estive sem postar no blogue por estar acompanhando meu pai internado no Hospital Municipal de Imperatriz. 

Velho militante político, sempre defendeu o serviço público de saúde, advogado de causas civis e trabalhistas, com 64 anos de idade, precisa fazer um cateterismo já que é cardíaco. Talvez alguém aí o conheça por “Pedrinho da Cemar”. 

Posso afirmar que é uma experiência conturbada manter um familiar no Socorrão de Imperatriz, visto que é flagrante a necessidade de mais investimentos, com mais leitos e estrutura. 

Faltam profissionais do Serviço Social, como constatei, além de uma melhor dinâmica de comunicação entre médicos, enfermeiros e pacientes. O prédio é alugado e em alguns espaços tais como banheiros e salas requerem uma reforma urgente. 

Porém gostaria de destacar o esforço sobre-humano que alguns profissionais da saúde fazem ali para cumprir uma rotina de enormes demandas. O carinho, otimismo destas são acertivas de que a questão da saúde merece mais atenção dos gestores. 

Internado desde a madrugada de sábado meu pai por enquanto tem se recuperado, mas, todo o cuidado é pouco. As refeições são servidas igualmente para todos com o mesmo cardápio o que no caso aqui não é bom. A taxa de diabetes dele requer uma dieta autamente restritiva. 

E aí vamos em frente. Não consegui identificar ainda a nutricionista do plantão. O vai e vem é constante de pessoas sãs e doentes. 

Muita calma nessa hora, paciência e um bocado de otimismo. 

Comentários

Amigo Carlos Leen, desejo um pronto restabelecimento de saúde ao seu pai, que para minha surpresa, é meu velho amigo desde os tempos em que eu era criança, quando morava com meus pais na Rua Alagoas e ele vivia na Rua luís Domingues, na casa da Dona Eva. Um abraço.
Valeu Marlon..obrigado pela força.
Neuton César disse…
Comandante o seu link continua em nossa pagina, peço que se puder coloque o nosso link www.neutoncesar.blogspot.com.br