21 de outubro de 2010

Marcha da família em Imperatriz: fundamentalismo e política juntos são um perigo para democracia


Noticias em alguns blogs dão conta de quê setores da igreja na cidade de Imperatriz farão uma marcha em nome da “família, por deus e pela vida”. O pretexto maior é conscientizar os ditos cristãos a votar no candidato José Serra.

Ora bolas já vimos esse filme antes.

Coisas desse tipo já aconteceram antes no Brasil. Setores conservadores da igreja em nome da "familia" "deus" e "vida" fizeram a uma marcha que deu suporte a tomada do poder pelos militares nos anos 60 e uma ditadura violenta foi instaurada em nome dos interesses norte-americanos.

Serra "alinhado com valores cristãos"? Pelo amor de meu "Padim Padi Ciço" que sandice, o Brasil é um país laico, não tem essa de quem é cristão, muçulmano ou macumbeiro deva ser melhor.

Não voto em Dilma, não sou petista e muito provavelmente anularei meu voto, agora dizer que se Serra vencer vai ser melhor aqui pro Maranhão é uma farsa total. Ainda mais sob o domínio de Sarney. Mandei até um recado pra Élson Araújo: pra mim você não é bobo, quem quer ganhe isso aí não muda nada aqui pra gente, basta lembrar a administração Jomar Fernandes, que na época teve Lula como presidente e deu no que deu pra nós.

Esse debate sobre sexualidade e aborto na verdade esconde o debate principal que é de uma política econômica que absorve quase a metade do PIB para pagamento de juros da dívida e favorece a concentração do capital, de privatização e sucateamento do patrimônio público, de total apoio às grandes empresas desenvolvimentistas e anti-ecológicas, de nenhum apoio para a realização de uma reforma agrária massiva sob o controle dos trabalhadores. Tanto Serra quanto Dilma são parte dessa política.

Só pra fechar. Esses setores xiitas da igreja, em nome de deus já queimaram gente na fogueira, apedrajaram, e muito provavelmente gostariam de ver os homossexuais num campo de concentração. Na foto acima imagem da klux Klux Klan.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

FRANCISCO ARAUJO disse...

Então em democracia quem tem uma religião não pode se manifestar políticamente? É isso? Qualquer religioso vive dentro de um Estado e tem direito de exercício de cidadania ou não? Uma coisas são atos para tornar o Estado estruturado por uma teologia.. outra coisa é defender valores que dizem respeito ao grupo a que se pertence... Isso vale para todos.. todos os grupos defenderem seus valores. Só os católicos não podem? Klux é ligada aos católicos americanos? Os religiosos daí certamente não querem matar ninguém ...se é que vão defender a vida! Pesquisas recentes mostram que a maioria dos católicos votam com Dilma, mas a grande maioria é contra o aborto! Há muitos tons de cinza entre o claro e o escuro... Sucesso!

Luís Diniz disse...

Quem tem uma religião pode sim manifestar-se politicamente, Francisco - mas manifestar-se como cidadão, assim como o ateu e o umbandista, por ex., também podem. O que não pode (e o Carlos deixou isso claro na postagem) é misturar religião com estado. Sendo o Brasil teoricamente um estado laico, a religião não deve se meter em assuntos de estado e nem o estado se meter em assuntos de religião. Mas infelismente muita gente não entende isso. Eu, como ateu, tolero todas as manifestações religiosas, mas abomino quando tentam gerir o estado baseados em valores religiosos.

Xerxes Aguiar disse...

Muito dificil argumentar com alguém que se ver (já que não acredita em nada)como apenas um pedaço de carne, sobre um esfera girando pelo Universo.
Por mais que vc não acredite, essa vida é apenas um segundo em uma eternidade, nossos atos repercutem no que vem depois e existe um mundo espiritual que rege tudo o que acontece aqui.
O movimento desses "fundamentalista" é de suma importancia para o futuro deles e de todos nós companheiro.

Abraços.

Carlos Leen Santiago disse...

Francisco reforçando o que o Luis afirmou acima: todos nós temos o direito de nos manifestar politicamente, não está certo é utilizar, por exmplo, a fé de um grupo em nome de uma causa politica argumentando "valores divinos" a ela. ( vide as cruzadas e guerras santas)
Xerxes o mesmo que vc diz sobre argumentar com alguem que não acredita em "nada" pode ser aplicado a vc por um fundamentalista islamico que pode dizer: " é dificil argumentar com um cristão, que acha que o deus dele morreu na cruz".
O que vc faz com ele então? mandar pro campo de concentração?

rgnldo disse...

no dilema: ser ou não cristão, é miolo de pode.
o viés está na beleza de não ser e não votar em SERRA.
Votei em Plinio, votarei em Dilma contra Serra.