30 de maio de 2009

Quem tem a comunicação tem o poder:

Quem detém o meio de comunicação constrói a realidade a partir de seus interesses, justamente para poder se garantir no poder.
Por exemplo, os que detêm a comunicação para poderem estar por cima começam a dizer que vale mais quem fala, quem estuda. São geralmente os donos dos meios de produção que para permanecer sempre com vantagem escondem que os que trabalham são os que produzem as riquezas e chegam até mesmo a definir os outros como sendo menos importantes, mais ignorantes, menos honestos e, portanto ate piores. Um exemplo são os programas policiais aqui de Imperatriz, neles as pessoas mais pobres são sempre colocadas como inferiores e que, portanto só poderiam aparecer em programas policiais, ao contrario das colunas sociais, onde o empresário ao dar uma festa de 15 anos para filha no valor de 300,00 reais é visto como superior melhor, mais bonito etc.
No fundo, tudo isso é feito para manter toda a população pobre e trabalhadora dominada ate na alma, pois quando alguém já se considera inferior, nunca vai questionar os de cima. Quando alguém está convencido de que vale menos ou não presta nunca vai procurar crescer, procurar seus direitos. É isso que querem os que se aproveitam dos debaixo.
No Maranhão, assim como em todo resto do Brasil, a comunicação está nas mãos de pouquíssimas pessoas. Digo os meios de comunicação de massa, como a Rede Globo por exemplo. Alem disso verificamos que:
a) Se o capital não pode possuir o meio ele controla o conteúdo. As noticias, os filmes, os enlatados para a TV vêem em grande parte de fora.
b) Se não tem o meio e nem o conteúdo, controla-se a divulgação e distribuição desse conteúdo. As agencias de noticias, as distribuidoras de filmes e material de comunicação possuem grande controle. Alem da publicidade e propaganda que só favorecem os meios que estiverem de acordo com sua filosofia.
Com certeza há mais elementos que poderia ser incorporados a essa analise e talvez alguém ache isso tudo aqui um tanto quanto incompleto. Mas não existem assuntos discutidos que são terminados e completos, tudo ainda está por ser finalizado, meu objetivo é delinear alguns tópicos com palavras claras e simples, dizendo o que em geral não se diz, pensando sempre nos grupos de ação, constituídos por pessoas simples, de boa vontade, comprometidos com a maioria do povo maranhense. O que não se pode deixar de perceber é o caráter controlador que temos atualmente da mídia. Tanto de fora, quanto de dentro, e talvez alguém ache que diante dessas situações não exista saída.
A resposta é: existe!
Discutiremos isso adiante, por hora gostaria de discorrer sobre as noticias e suas belas mentiras.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

Velvet Poison disse...

Acho que ter o meio de comunicação não basta para ter o poder. É preciso saber muito bem o quê fazer com a comunicação ao seu dispor para que isso se reverta em poder.

É aquela história, que nem a propaganda: não basta ser pai, tem de participar! Não basta ter o meio, tem de saber como melhor se comunicar.

As vezes é pelas maneiras menos óbvias de se fazer uso dos meios de comunicação que se consegue de fato um melhor objetivo. E esse talento, uma vez que é preciso paciência, parcimônia e muita inteligência para tanto, é muito, muito difícil de se encontrar em alguém.

Carlos Leen Santiago disse...

Sim minha cara desconhecida Velvet Poison. De fato não basta so te-lo por si só, mas tambem saber usa-lo e nós, a classe trabalhadora, os estudantes, os artistas em geral , mesmo com tantas dificuldades conseguimos criar nossos proprios mecanismos de cultura e comunicaçao.
Agora imagine se a estrutura ( a riqueza ) fosse melhor dividida/aproveitada. Imagine as possibilidades. É disso que a chamada "elite" parece temer e ela não teme gratuitamente, mas de forma amorfa, sem rosto. Nossa luta deverá ser no sentido de democratizar cada vez mais os espaços, tanto culturais quanto sociais e ai nessa luta devemos ter como alvo principal a hegemonia do pensamento unico global, que nos diz que não ha saída!