30 de maio de 2009

A comunicação constrói a realidade:

Ou seja, uma coisa só passa a existir no momento em que é comunicada. Por exemplo, o genocídio na faixa de gaza ainda nos é informado apenas por que felizmente existe a internet, do contrario nada saberíamos, e, portanto independentemente de quantas crianças morrem vitimas de bombardeio o seu Zé lá da esquina não fica sabendo e pra ele, logo não existe guerra. O lado ruim de tudo isso é que perdemos nesse processo a capacidade de nos indignar por que não obtemos a informação necessária para fazê-lo. Outro exemplo se dá quando determinada emissora resolve graças a somas vultosas em dinheiro ou por ser de propriedade de algum político não esclarecer a população os reais motivos de um determinado problema, por que se caso for noticiada ferirá os interesses individuais e eleitoreiros do político financiandor-proprietario da emissora. Aqui no Maranhão o nível desce ainda mais quando vemos apresentadores de vários programas abertamente defenderem apenas a visão do proprietário particular ou do político dono, escamoteando assim a opinião popular.
A saída para esse problema se dará apenas quando a hegemonia for quebrada, ou seja , quando a população puder ter seus canais de TV , radio, jornais impressos de forma livre e organizada. O poder publico deve facilitar a inclusão de novas rádios comunitários e emissoras de TV que não estejam atreladas apenas ao interesse da lucratividade e do consumismo, por exemplo.
Portanto a comunicação ao construir a realidade não o faz de maneira neutra, asséptica. Ela se faz através de um determinado ponto de vista e sempre com uma dimensão valorativa, sempre embalada com o cheiro de “bem-mal”, de forma maniqueísta, e finalmente montando uma agenda de discussão. As pesquisas mostram que aproximadamente 80% de tudo que as pessoas falam na rua, em casa, no trabalho, etc., são assuntos que foram apresentados pelos meios de comunicação, com isso percebemos que a força da mídia não está apenas no que ela apresenta mais no que ela não apresenta também. Isso significa que pode-se deixar de fora da discussão temas que poderiam a vir incomodar determinados grupos comercias ou governos. Exemplo: Reforma Agrária, descriminalização da maconha etc.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

4 comentários:

lincoln disse...

a comunicaçao tem muitos jeitos de ser feitas que nós possas ser diferente para aprender mais do que pensavamos nós tem ser uma pessoa que nos aprende muitas comunicaçoes para isso temos varios jeitos de se comunicar com as pessoas com os animais etc se vc ver vc se comunica no transito,escola,nos bairos por exemplo nos bairros vc estar passando e ver um amigo vc dar um legal um oi isso é comunicaçao, na escola é de ferente vc fala vc brinca vc conversa tem muitos jeitos de se comunicar com os animais vc se comunica com o seu cachorro tem cachorro que sao muitos inteligentes obedece seu dono e seus amigos etc obrigado ...

novinha city disse...

ai que massa corno kkk

novinha city disse...

Vç e indiota de fazer esse negoço seu gordo ridiculo
kkkkkkkkkkk

lilian campos disse...

Incrível ver pessoas com a mente tão pequena, cheia de hipocrisia, presas no ócio vicioso da mesmice, não entendendo palavras tão coesas como desse blogueiro, nas quais me inspiraram a esclarecer meu trabalho de faculdade sobre o tema aqui abordado, vc está de parabéns.