Imperatriz-MA

Imperatriz-MA
Beira-Rio, o cartão postal de nossa cidade

18 de setembro de 2017

Sonia Guajajara denuncia ameaças contra Amazônia no Rock in Rio


Algo digno de nota e registro aconteceu ontem no show da cantora norte-americana Alicia Keys. A participação da liderança indígena Sônia Guajajara, maranhense, natural de Amarante e com residencia em Imperatriz, trouxe uma grito de denuncia acerca do vem acontecendo com a nossa Amazônia.

Sônia Guajajara falou para os milhares de brasileiros presentes nesta edição do festival Rock in Rio que existe uma guerra contra a Amazônia, que os povos indígenas e o meio ambiente estão sendo brutalmente atacados. “O governo quer colocar à venda uma gigantesca área de reserva mineral”, afirmou em seu discurso.

Dia 20 deste mês acontecerá votação no senado para aprovar ou não o Decreto nº 9.142 que regulamenta a exploração na Reserva Nacional do Cobre e seus associados. A líder indígena fez um apelo aos senadores: “vocês têm a chance de evitar isso e nós estaremos de olho. ”

Quem é Sonia Guajajara ? 

Os Awá Guajá é um povo que mantém sua forma ancestral de sobrevivência, e dentro desta área existe um povo aguerrido, Os Guajajara. No seio destes nasceu Sonia Bone, ou Soninha, como os mais próximos costumam chamá-la. Soninha teve uma infância típica daqueles da comunidade: ajudava os pais na roça, vendia farinha de mandioca, brincava e estudava. Soninha sempre foi desbravadora, curiosa, dedicada e corajosa. 

Acreditava que a Educação era a ferramenta que poderia mudar o mundo. Aos 17 anos se tornou liderança de seu povo e freqüentou um curso de Medicina Natural em São Paulo, vindo a formar-se em Letras e trabalhando como Professora de Português. 

Sua primeira experiência como militante indígena foi durante a Conferência da Marcha Indígena, quando se discutiu o Estatuto dos Povos Indígenas. Em 2007 participou do Fórum Permanente da ONU, para questões indígenas. 

Assumiu coordenações nas organizações indígenas nacionais, vindo a representar os indígenas da America na Assembléia da ONU em 2008, na cidade Nova Yorque, EUA. Por tudo isso recebeu recentemente a medalha “18 de Janeiro”, concedida pelo Centro de Defesa dos Direitos Humanos “Padre Josimo” pela sua firme atuação a frente da Coordenação Executiva dos Povos Indígenas (APIB).

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: