Greve geral paralizará atividades nesta sexta feira em Imperatriz



Por Hyana Reis

Esta sexta-feira (28) promete ser marcada pela Greve Geral em todo o país, que protesta contra as reformas da Previdência, trabalhista e a Lei da Terceirização. E Imperatriz também aderiu a mobilização nacional e realiza ato público pelas ruas da cidade. 

A mobilização em Imperatriz inicia às 8h, com concentração na Praça Brasil, e segue pelas ruas da cidade, passando pela Dorvigal Pinheiro e Avenida Getúlio Vargas, encerrando na sede do INSS, na rua Simplício Moreira. Devido à Greve Geral, categorias como os bancários e professores devem paralisar suas atividades. 

O Sindicato dos Bancários do Maranhão anunciou que não haverá atendimento em Imperatriz durante toda a sexta-feira (28). "Para o Sindicato dos Bancários do Maranhão é de suma importância que os bancários participem da paralisação, mobilizando colegas e familiares, com o intuito de derrubar estas medidas nefastas do Governo, que visam acabar com os direitos dos trabalhadores do Brasil", diz nota do sindicato.

O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos Públicos de Ensino de Imperatriz (Steei) também anunciou adesão ao movimento. "Todos os trabalhadores da educação são convocados, bem como os pais, alunos, gestores, coordenadores, supervisores, orientadores, auxiliares de magistério, vigias, zeladores, agentes operacionais entre outros que fazem parte do segmento educacional", informou o sindicato.

Outros movimentos sociais, entidades e sindicatos de Imperatriz também irão aderir e participar da Greve Geral. "Nós do Sindicato da Saúde estaremos lá participando do ato público, mas, infelizmente, não há um respaldo legal para os trabalhadores aderirem à greve e paralisar completamente", informa Janete Oliveira, presidente do SindSaúde.

Mobilização Nacional - Diversas cidades já anunciaram à adesão a Greve Geral, que promete parasilar aulas, transporte público e atendimentos por todo o país.
Segundo o movimento, a Paralisação Nacional é uma forma de alertar ao governo que a classe trabalhadora não aceitará as novas medidas relacionadas a Previdência Pública e o projeto de terceirização aprovado pela Câmara dos Deputados.


Comentários