EDITORIAL: O PRENÚNCIO DA CAMPANHA É TRÁGICO


As eleições se aproximam e logo logo teremos o tempo de propaganda eleitoral. Pela internet é possível visualizar  que não há nenhum sinal de que se retome em termos de debates os problemas estruturais no Maranhão.

Em Imperatriz o professores em greve já somam mais de 100 dias e por enquanto permanece o impasse. O prefeito de Imperatriz sequer parece ter o interesse de viabilizar o diálogo com a categoria. 

Poderia pelo menos dar o reajuste pela inflação que seria dá ordem de 6%, ṕorém, prefere ouvir seus quadros técnicos ao invés de perceber o prejuízo politico.

Nenhum dos candidatos a governador que pontuam nas pesquisas lançou qualquer manifesto de apoio aos profissionais da educação.

A questão da moradia, da educação, da reforma agrária no Estado precisa entrar nos programas de governo. A questão também de mudança na esfera cultural é extremamente necessária.

Serão apenas dois meses para a campanha eleitoral. E cargos importantes serão disputados. A população parece estar desanimada com política. Os parlamentares que disputam o pleito em sua maioria parecem estar preocupados em aumentar os contatos para financiamento de campanhas.

A classe politica precisa abrir o debate com toda a sociedade. Discutindo a causa dos problemas  e a partir daí elaborar um programa que realmente represente os anseios da classe trabalhadora.

As jornadas de junho do ano passado comprovaram que entramos num novo momento da reascensão dos movimentos de massa. Caso a classe politica não tenha essa sensibilidade teremos novamente a eclosão deste reascenso.

E eu vou estar por lá.

Comentários