28 de março de 2012

LUCIANO PILANTROPIA – UM DOM QUIXOTE A SERVIÇO DO ROCK


O personagem criado pelo escritor espanhol Miguel di Cervantes é usado como figura de linguagem para demonstrar comportamentos humanos muitas vezes idealistas, de pessoas que perderam a razão para tentar mudar o mundo imitando os heróis famosos.
É assim que podemos caracterizar a figura do músico e vocalista da banda Pilantropia Luciano Figueiredo. Desde o final de 2009 residindo em Imperatriz, o goiano nascido na capital vive daquilo que lhe é mais peculiar artistícamente falando: tocar rock in roll. Um sonho que, para muita gente ligado ao seguimento cultural, pode virar um pesadelo visto o lugar e as condições de sustentação das despesas. Acredite amiguinho, não é fácil !!
Não curto bandas couvers. Acho que fazer só isso “é querer gozar com o pau dos outros” (para usar uma expressão famosa do Lobão). Mas chama atenção o carisma com que a Pilantropia segue firmemente durante os shows. Além do mais num espaço pouco eclético como Imperatriz, você sobreviver de sua arte, é digno de respeito no mínimo. Eu tiro o chapéu!!
Bati um rápido papo com a figura pelo Facebook. “Para nossa alegria” eles não tocam só covers:

Blog CL: Nome próprio e artístico?
LP: Luciano Almeida Figueiredo, ou, Luciano “Pilantra”
Cidade onde nasceu?
LP: Goiania GO.
Influências?
- LP: Eu posso até citar alguma coisa, mas me interesso tanto pela boa música, seja em que estilo for, que responder a isso me deixa um sentimento de estar me limitando. Um mix de ideias e influências fervilha na minha mente quando me ponho a compor.
O que tu achas da música atual?
LP: Eu não hesito em afirmar que sou um saudosista dos anos 80, época em que, na minha opinião, os artistas tinham um outro enfoque ao expor sua sensibilidade musical, muito distante da necessidade que a mídia impõe de os cantores atuais produzirem a todo momento mais um 'hit descartável' pra bombar na boca do povo nos próximos seis meses (às vezes menos). Eu acho que muita gente perdeu o verdadeiro sentimento e se ligou na onda de falar alguma besteira ou algo engraçado pra colar na mente do público. Acho deselegante e sem respeito ao intelecto do ouvinte.
Trajetória?
LP: Quando ouço as composições da maioria dos cantores mais bem sucedidos no quesito 'fama e dinheiro', eu vejo um declínio intelectual.
O que muitos produtores e artistas encaram hoje como a fórmula do sucesso, eu vejo como banalização da arte de fazer boa música. Morei em Palmas de 2003 a 2009, em 2008 criei a Pilantropia, e em 2009 caí de paraquedas na apaixonante Imperoza... rsrs
Vocês estão tocando só no Route 66?
LP: E todo sábado na Romanos exceto quando toco em outras cidades, como sábado passado e neste próximo.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

PILANTROPIA disse...

Com relação a tocar covers na noite, se torna uma necessidade quando você decide que a música vai ser seu sustento, e sua única fonte de renda. (Beatles, U2, Black Sabbath e a maioria começaram exatamente assim).
Mas concordo que deixar isso se tornar o carro chefe da banda limita a carreira do cantor à ingrata vida de botecos e guetos.
Estou me dedicando ao máximo para meu CD estar à altura da expectativa dos admiradores do meu trabalho, e ele vai estar nas mãos deles em breve. Essa é minha prioridade no momento.

GVitória disse...

Eu conhecí o Pilantropia por acaso e digo para os meus amigos que foi um acaso que me deixou muito feliz, por saber que exite o remanescente do Rock N Roll de verdade nessa cidade.
O Pilantropia não agrada somente a um gosto musical, meu pai por exemplo foi a um show do Zé Ramalho e no outro dia ele ligou na rádio como sempre faz, e falou para o locutor que a noite dele foi realizada quando eles tocaram Another Brick In The Wall.
Os Rockeiros de ITZ, estão em seus quartos ouvindo Metal n tentativa de não se "contaminarem" por...
Espero encontrar com o Luciano para elogia-lo pessoalmente, sucesso, e sem exageros, eu amo Pilantropia!