14 de dezembro de 2010

Anarkophobia hoje e sempre.


20 anos de ANARKOPHOBIA, um dos melhores discos do Rock Brasil, lançado em pleno caos inflacionário que vivia o país no inicio dos anos 90.

Um dos gratos prazeres que tive quando adolescente e antenado em música era poder chegar da escola e sem ao menos tirar o uniforme jogar a mochila em cima da cama, pegar aquele vinil (ainda sou do tempo do vinil, mas se bem que ta voltando né!) e deixar rolar na vitrola.
Dos discos que ficavam entre os meus preferidos, cujas canções não saiam da cabeça, um dos mais “viciantes”, sem dúvida nenhuma foi o disco Anarkophobia, da banda paulista Ratos de Porão. Duro e direto como uma cachuleta na orelha, vários são os adjetivos que eu poderia enumerar para defini-lo, mas resumo todos eles há um só: ROCK ROLL PURO!
Isso musicalmente falando. As letras é outro caso a parte. Quantas reflexões sobre o mundo dá pra tirar de: “Sofrer” “Igreja Universal” e etc. Sem dúvida merecem uma leitura mais critica. Sobre a banda em si, outra curiosidade que deve ser analisada: Os caras eram junkies! João Gordo quase morre de tanto fumar e cheirar. Vantagem? Não...mais com uma sinceridade sem igual, que casava bem com a leitura de mundo que a banda tinha. Um mundo desnorteado, caótico, hipócrita, violento e sempre muito injusto. Qualquer semelhança com a realidade não seria mera coincidência ?

Anarkophobia é o quinto álbum da banda Ratos de Porão, sendo lançado em 1998 novamente pela Gravadora Eldorado, e no exterior sendo lançado pela Roadracer Records.

Este é o álbum da banda onde há mais influências de thrash metal, sendo repudiado pelos antigos fãs e saudado pelos fãs de metal extremo da época.

O álbum foi gravado em Berlim na Alemanha, e produzido novamente por Harris Johns.

Na edição em CD da versão em português, há uma versão da música "Jardim Elétrico" da banda Os Mutantes como faixa-bônus, que foi lançada originalmente em 1989 no álbum-tributo à Arnaldo Batista, Sanguinho Novo.

Português
Lado A
"Contando os Mortos" (João Gordo) – 4:50
"Morte ao Rei" (João Gordo) – 3:33
"Sofrer" (João Gordo) – 3:11
"Ascensão e Queda" (João Gordo) – 2:05
"Mad Society" (João Gordo) – 3:59
Lado B
"Ódio 3" (João Gordo) – 4:57
"Anarkophobia" (João Gordo) – 3:44
"Igreja Universal" (João Gordo) – 3:42
"Commando" (The Ramones) – 1:44
"Escravo da T.V." (João Gordo) – 4:22
Faixa-bônus do CD
"Jardim Elétrico" (Os Mutantes) – 1:22

Inglês
Lado A
"Counting the Dead" (João Gordo) – 4:43
"Death of the King" (João Gordo) – 3:28
"Born to Suffer" (João Gordo) – 3:08
"Rise and Fall" (João Gordo) – 2:03
"Mad Society" (João Gordo) – 3:52
Lado B
"(All I Need Is) Hatred" (João Gordo) – 4:49
"Anarkophobia" (João Gordo) – 3:39
"Universal Church" (João Gordo) – 3:36
"Commando" (The Ramones) – 1:41
"T.V. Slave" (João Gordo) – 4:16
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

Blog do Marcelo Lira disse...

ANARKOPHOBIAAAAAAAAAAA.......
DOENÇA DO PODER..........

Assim cantava (berrava) João Gordo...
Bons tempos de adolescência: metal, cerveja gelada e jogos escolares...

Sem dúvida uma época digna de muitas lembranças...

Nesta época eu também ouvia muito o Arise (Sepultura), Master of Puppets (Metallica), Pierce of Mind (Iron Maiden) e Contdown to Extinction (Megadeth)...

Muito massa...

Carlos Leen Santiago disse...

Caro Marcelo:

Essa sua "agenda" era semelhante a minha. Com exceção do "metal" (eu ouvia muito rock brazuca também).
Se tu for de Imperatriz então provavelmente já nos topamos por entre jogos escolares, rocks e ceverjas.
abração!

Blog do Marcelo Lira disse...

Sou de Imperatriz e fiz o ensino médio (2º grau) no Dom Bosco, também curtia Rock Nacional da década de 80, estilo musical que predomina entre minhas preferências até hoje, quando morava em Fortaleza aprendi a gostar de MangueBeat através de Chico Science, pra lá tem muita banda alternativa tocando rock de 1ª...

Ricardo Santos disse...

RDP, sempre será a banda mais paunk do Brasil!!!

Ricardo Santos disse...

RDP, sempre será a banda mais paunk do Brasil!!!