21 de setembro de 2009

Fundação Cultural de Imperatriz

A coisa parece estar pegando na Fundação Cultural de Imperatriz. Passados mais de seis meses da nova gestão e ainda não se tem discutido algumas das princípais demandas que nossa cidade presisa, como por exemplo o Sistema Municipal de Cultura e o Conselho de Cultura, alem disso não se tem posição alguma do que vai rolar em relação a transformação da antiga Biblioteca (recentemente ocupada e depois desapropriada pela "OCUPARTE") em uma casa de cultura ou múseu, alem de um novo espaço mais adequado para servir de biblioteca de verdade.
Pra piorar a vida do nobre secretário Antonio Lucena, provavelmente não teremos mais a presença da atriz e poeta Lilia Diniz na equipe de apoio e acessoria. Pelo visto Lilia, peça importante para a mobilização da classe artistica para a Conferência de Cultura local, não deve voltar de Brasilia tão cedo.
A equipe da FCI, leia-se, é formada por renomes intelectuais e artísticos de primeira grandeza, como Zeca Tocantins e Prof Zé Geraldo, mas que até agora ainda não conseguiu mostrar a que veio de verdade.
É ficar de olho e torcer para que não se repita o exemplo da péssima gestão passada: inoperante e descompromissada
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 comentários:

Wilson Leite disse...

Camarada,

Deixar-se cooptar ou ter uma potura ou passiva das pessaos que poderiam dar uma rumo ao movimento reinvidicatório das coisas culturais nos deixa triste. Por outro lado outros lideranças surguirão com a consciência que de não se pode mudar a forma de gerir alienante, como é desse governo, por dentro como argumentam qem se dispoem a tentar.