20 de janeiro de 2011

Sinproesemma cobra nomeação dos excedentes do último concurso


O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) se reuniu na manhã de ontem, em sua sede, na Rua Henriques Leal, com os professores excedentes do último concurso público, realizado pelo governo do Estado no mês de dezembro de 2009. O objetivo da reunião, segundo o presidente da entidade, Júlio Pinheiro, foi construir uma agenda com os trabalhadores para cobrar a nomeação desses profissionais, uma vez que ainda faltam 1.200 vagas para serem preenchidas.
Júlio Pinheiro disse que a proposta do Sinproesemma é que todos os excedentes sejam nomeados, pelo fato de a carência de professores na rede de ensino do Estado é de 14 mil profissionais. E que, fora isso, existe a necessidade da criação de novas vagas para absorver esses trabalhadores, que totalizam um número de três mil pessoas. “Mesmo que o governo crie essas vagas, a carência vai continuar, pois ainda faltarão mais de dez mil professores para atender a necessidade da rede”, frisou Pinheiro.
Veja mais no blog O Vianense

A REVOLTA DOS CONCURSADOS CONTRA O GOVERNO DE ''PANOS QUENTES'

Do blog de César Belo

A verdadeira revolução na Educação do Maranhão começa nesta quinta feira(20.01.2011),na Praça Deodoro as 8 horas da manhã, com a manifestação dos professores concursados, que reivindicam o cumprimento da Constituição Federal.

O governo fez concurso, oferecendo 5320 vagas em todo o Estado, desta vagas 3346 foram ocupadas por professores aprovados no concurso. Ocorre que mesmo tendo necessidade do chamamento dos excedentes concursados, o governo vem priorizando o processo seletivo em desacordo com a lei.

A revolta dos concursados contra a "política de panos quentes" tem lógica matemática, posto que mesmo com o processo ilegal do seletivo ainda existe a carência de 1974 professores, haja vista que somente 459 dos aprovados foram nomeados no início do ano de 2011.

O SINPROESEMMA é quem puxa a mobilização, denuncia que o governo vem fazendo a renovação dos contratos dos seletivos "por debaixo dos panos", pagando a metade do salário dos concursados, submetendo-os a mesma carga horária e a função dos concursados, sem contar que não tem as mesmas vantagens dos nomeados.

A alegação do governo de Roseana Sarney é que não tem verba para pagar todos os excedentes. Agora eu pergunto como é que tem para aumentar as emendas parlamentares de R$1,5 Um Milhão e Meio para R$2,5 Dois milhões e Meio, gerando um acréscimo de R$ 42 Milhões no Orçamento?

O SINPROESSEMA está correto e tem o apóio da população. Vamos todos para a Praça Deodoro dar apoio a manifestação.

A revolta dos concursados é o primeiro passo para sacudir as estruturas carcomidas da SEDUC contra a política de "panos quentes".

Chega de "do peito", "debaixo dos panos", "panos quentes" e "panos de bunda".
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

Alexandre Oliveira disse...

Obrigado pela repercussão da nota no seu blog. Já adicionei o seu em nossa lista. Se possível faça o mesmo. Agradeço imensamente. Vou seguir o seu também. Se possível siga o meu. Abraços e muito sucesso.

Anônimo disse...

Excelente a nota do seu blog sobre a não nomeação dos concursados pelo governo do estado.
A atitude da governadora só vem reforçar aquilo que todos nós já sabíamos: que a tão propalada revolução na educação do seu governo não passa de uma tremendo golpe na população!