28 de maio de 2011

Vídeos do "Kit contra homofobia" despertam horror na bancada religiosa fundamentalista

Campanha contra a Homofobia. Por uma educação que mostre a realidade como ela é: colorida e diversa! A Dilma pode vetar, mas a gente vai mostrar:




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

Anônimo disse...

Homofobia, heterofobia, pauperofobia, judifobia, islanfobia, ou seja lá qual for o radical para discriminação às pessoas, deve ser rechaçado pela sociedade. Isso não significa que eu tenha que concordar e achar bacana as práticas de quem quer que seja. Amar as pessoas não significa apoiar as suas práticas. Muito menos aderir a elas. Os vídeos fazem apologia como se fosse uma coisa muito bacana e que todo jovem deveria experimentar.O kit não fala apenas de respeito aos seres humanos independentemente de suas escolhas pessoais. Faz apologia à prática homossexual e um forte apelo proselitista à "irmandade". Não traz qualquer edificação para a nossa juventude. Não estamos obrigados a seguir os modelos impostos pela TV Globo, SBT e todo o rolo compressor midiático para sermos aceitos como "descolados" e "intelectuais" e não tidos como ultrapassados ou caretas. Aliás acho caretice toda essa imposição midiática acerca da homossexualidade ou homossexualismo - como queiram-.

Carlos Leen Santiago disse...

Meu caro Anonimo:

O problema aqui não se trata de apologia a esta ou aquela tendencia comportamental em relacionamentos humanos. Há uma clara ideia fundamentalista de se encarar as relações homo-afetivas como coisas de outro mundo e de carater degradante.
Por outro lado temos visto cotidianamente casos e mais casos de violencia contra seres humanos e casos de suicidios por conta dos preconceitos existentes na sociedade.
sou hetero, muito bem resolvido, e nao teria nenhum probelma em ter um filho(a) homo, desde que fosse uma pessoa honesta e batalhadora.
A ideia do Projeto "Kit contra homofobia" vai nesse sentido, de faezr com que as pessoas sejam mais leves em relação as outras.

António Silva disse...

A realidade não se faz por si só, ela é o resultado do portar do ser humano. Melhorar a qualidade da Educação "além formação mercadológica" é o caminho. Nem sempre graduar ou mestrar, significa se educado. A liberdade sem consciencia perde o sentido.

Eduardo disse...

Temos que concordar que os jovens brasileiros (principalmente os de escola públicas a quem o material é destinado) não têm uma educação familiar, social nem espiritual adequada. Imagine se teria dissernimento para receber mensagem tão polêmica.

É muito mais decente formar consciência - através da educação - para que o próprio jovem dê a resposta que lhe convém a essa e tantas questões cotidianas.

Respeitar sim, estimular NÃO.

Anônimo disse...

Os psicólogos e psicanalistas são unanimes em afirmar que quem muito contesta e se incomoda com a sexualidade alheia é porque não tem a sua bem definida. Por isso, esses pastores incluindo aí aquele horrendo malafaia, deveriam sair do armário e assumirem sua sexualidade, pois certamente eles são gays que tem homofobia internalizada.
Neste caso, esses pseudo evangélicos deveriam criar vergonha na cara e pararem de perseguir-nos, haja vista que um livro 'escrito' há mais de 3 mil anos não pode servir de base para ditar regra nos correntes dias...

Philip Valois