2 de março de 2011

Novos pedidos de filiação no Maranhão fortalecem luta contra oligarquia, afirma presidente nacional do PSOL

Do site do Psol Nacional

01/03/2011 - 18:27

Novos pedidos de filiação no Maranhão fortalecem luta contra oligarquia, afirma presidente nacional do PSOL

O presidente nacional do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Afrânio Boppré, comentou o pedido de filiação, no Maranhão, de quatro militantes históricos ao partido. São eles Haroldo Sabóia, deputado federal constituinte de 1988; o jornalista Franklin Douglas, ex-dirigente estadual do PT; Wagner Baldez, hoje com 82 anos, que é um comunista histórico do estado e Roberval Costa, ativista do movimento popular por moradia, na ilha de São Luis. “Eles bateram na porta certa. Saudamos a posição dos companheiros que decidiram entrar no PSOL, pois eles reúnem uma trajetória de vida no perfil do partido. Nascemos para ser uma alternativa de esquerda para aqueles que viram esgotar outras propostas partidárias. Somos o partido daqueles que lutam por uma sociedade fraterna, justa e igualitária e que não têm o que desabonem do ponto de vista moral e ético”, afirmou Afrânio Boppré.

Neste sítio já divulgamos o pedido de filiação e a nota do Diretório Estadual do PSOL. http://j.mp/flp89m

Nonato Massom, advogado militante pelos Direitos Humanos e dirigente do PSOL-MA, avalia que “as filiações de Haroldo Sabóia e Franklin Douglas podem representar um marco na política maranhense no momento em que o movimento popular começa a se rearticular, depois do refluxo provocado pela aliança da oligarquia Sarney com o governo petista”.

O secretário geral do PSOL-MA, Valdeny Barros, espera um grande número de filiações ao PSOL de antigos militantes do PT maranhense. “Há muitos revoltados com as decisões da direção petista e sabem que o PT não representa mais o partido capaz de organizar os trabalhadores e o povo para a mobilização. A intervenção imposta pela direção nacional petista, que forçou em junho de 2010 a coligação com o PMDB de Roseana Sarney contra a grande maioria partidária, foi a gota d’água para vários”.

Reinaldo Costa, destacada liderança do Movimento Sem Terra (MST) e dirigente do PSOL, acredita que “o momento é de acumulo de forças e de rearticulação da esquerda no Maranhão. As novas filiações mostram que o PSOL é um partido necessário para este momento histórico. O PSOL pretende com esta campanha fortalecer sua base, se aproximar dos movimentos em luta no estado construindo uma unidade de esquerda que possa ter força para derrotar os que estão há mais de 40 anos massacrando, torturando e tornando cada dia mais miserável o povo maranhense”, concluiu.

A candidata a senadora pelo PSOL nas eleições de 2010, professora Maria do Socorro, mais conhecida como Socorro de Paço do Lumiar, declara que está confiante na preparação do 3º Congresso Nacional e da campanha de filiação no Maranhão. “Percorreremos o Maranhão inteiro para organizar o PSOL para disputar as eleições municipais de 2012. Em especial iremos àqueles municípios onde a resistência popular e a luta social mais necessitarem de uma opção de esquerda e socialista. As filiações fortalecem e dão mais viabilidade ao nosso projeto de construção de um novo Maranhão sem oligarquia sarneyzista que enfrentamos há 45 anos.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

Wilson Leite disse...

ACORDOS POR CIMA, O NOVO MODELO DE DEMOCRACIA DA DIREÇÃO NACIONAL DO PSOL

Estamos cientes dos acordos que estão sendo feitos pelas correntes majoritárias do PSOL Nacional, correntes essas que nunca esconderam seu desejo por conquistas de cargos para ocupar os palácios e os gabinetes. A derrota de parlamentares – que apesar de terem uma atuação expressiva – nas urnas em 2010 fez aflorar nessas correntes a ganância para alcançar esse objetivo não importando as conseqüências futuras.

O PSOL tinha um projeto inicial de fortalecimento do partido tendo os trabalhadores como base – um partido de base – projeto esse que durante esses sete anos sempre sofreu ataques por aqueles que tinham atalhas que os levariam aos seus objetivos pessoais(cargos).

No Maranhão, a maioria que trabalha pelo projeto inicial sofreu várias perseguições pela minoria no Estado que tem hoje ampla maioria a nível nacional. Exemplos disso é que em 2010, Maria do Socorro, que não participou junto com seus aliados das instancias do Partido e teve sua candidatura homologada via nacional que tentou impor a todo custo a quebra de democracia. Hoje, temos mais uma prova da falta da tão falada “democracia” interna do PSOL, figuras notoriamente reacionárias já tem como certa – inclusive com uma declaração da presidência nacional do PSOL – suas filiações homologadas sem passar pelos tramites estatutários, rasgando assim o que norteia o mínimo de democracia interna.

Esse caminho já foi trilhado pelo PT, e parece que a maioria nacional junto com a minoria no Estado quer seguir o mesmo caminho, esquecendo que essas ditas lideranças, as quais em nenhum momento se posicionaram sobre contra o governo Dilma/PT e deixa claro que estão saindo porque já não tem espaço – hoje invadido por sarneystas – e, a vinda pro PSOL só serve como trampolim para outros acordos.

É só esperar as novas filiações que virão e o golpe final no projeto socialista que se tenta construir.

Anônimo disse...

Poxa esse Wilson Leite sai do blog dele só para vir chorar aqui !!!!

Se vc quer o partido só para vc então funde um ou vá procurar outro !!!

Se deu mal quando disse que "não seriam aceitas as nova filisções" !!

Isso sim é democracia e não a vontade pessoal de uns e outros!!!


Maria José - São Luís

Carlos Leen Santiago disse...

Caro:
1) Não existe nada que desabone a vida dos companheiros que querem vir construir o PSOL. Você se doí tanto é porque vai perder sua política miúda e mediócre, que utiliza o partido como hobby para o fim de semana.
2) "Esse caminho já foi trilhado pelo PT"(..)QUE RIDICULO! Vc gerencia as coisas sempre olhando pra trás? Como alguem que dirige um carro pelo retrovisor, erros foram e serão cometidos, não adianta querer ser juiz, julgando a tudo e a todos, dando os verdictos finais. Gostaria de lhe perguntar uma coisa: Qual sua atuação política? Cadê sua militância? Em que espaço de luta vc participa? Me parece que vc acredita ser o novo paladino, que vai liderar as massas quando a revolução chegar. Alias me avise quando ela estiver vindo, pois ao contrário de você, eu quero estar multiplicando e não apenas dividindo.(risos)
Por fim recomendo-lhe ler um livro do caramada Lenin chamado "Esquerdismo: doença infantil do comunismo", talvez lhe sirva de subsídio para compreender melhor que o marxismo não é uma religião, ou um dogma, mas sim uma "analise concreta de fatos concretos" (Lenin, As Três Teses).

Saudações socialistas!

Anônimo disse...

O socialismo é o visionário irmão mais novo do quase extinto despotismo, do qual quer ser herdeiro; seus esforços, portanto, são reacionários no sentido mais profundo. Pois ele deseja uma plenitude de poder estatal como até hoje somente o despotismo teve, e até mesmo supera o que houve no passado, por aspirar ao aniquilamento formal do indivíduo: o qual ele vê como um luxo injustificado da natureza, que deve aprimorar e transformar num pertinente órgão da comunidade. Devido à afinidade, o socialismo sempre aparece na vizinhança de toda excessiva manifestação de poder, como o velho, típico socialista Platão na corte do tirano da Sicília; ele deseja (e em algumas circunstâncias promove) o cesáreo Estado despótico neste século, porque, como disse, gostaria de vir a ser seu herdeiro. Mas mesmo essa herança não bastaria para os seus objetivos, ele precisa da mais servil submissão de todos os cidadãos ao Estado absoluto, como nunca houve igual; e, já não podendo contar nem mesmo com a antiga piedade religiosa ante o Estado, tendo, queira ou não, que trabalhar incessantemente para a eliminação deste - pois trabalha para a eliminação de todos os Estados existentes -, não pode ter esperança de existir a não ser por curtos períodos, aqui e ali, mediante o terrorismo extremo. Por isso ele se prepara secretamente para governos de terror, e empurra a palavra "justiça" como um prego na cabeça das massas semicultas, para despojá-las totalmente de sua compreensão (depois que esta já sofreu muito com a semi-educação) e criar nelas uma boa consciência para o jogo perverso que deverão jogar. - O socialismo pode servir para ensinar, de modo brutal e enérgico, o perigo que há em todo acumulo de poder estatal, e assim instilar desconfiança do próprio Estado. Quando sua voz áspera se junta ao grito de guerra que diz o máximo de Estado possível, este soa, inicialmente, mais ruidoso do que nunca: mas logo também se ouve, com força tanto maior, o grito contrário que diz: O mínimo de Estado possível. (Friedrich Nietzsche

Anônimo disse...

Friedrich Nietzsche é um dos filósofos que fundamentam o nazismo alemão. sua idéia de "super-homem", "vontade de potência" e sua ética de combate à "moral do rebanho" serviram e ainda sevem de argumentos para os nazifascistas europeus e uns babacas aqui no Brasil!!!

Pelo visto é natural se fundamentar em Nietzche para criticar o socialismo!!!

Maria José - São Luís