6 de setembro de 2010

“Operação Tigre” faz 20 anos: Que seja lembrada para que não se repita


O assassinato do Padre Josimo, assim como tantos outros crimes em Imperatriz, fizeram-na ser conhecida como "capital da pistolagem" nos anos 80. E um dos episódios que mais a estigmatizaram, em razão de sua grande repercussão, como VIOLENTA e que não se resumiu a um só crime e sim a vários na forma de chacinas, foi a famigerada “Operação Tigre”.

Comandada pelo então delegado regional de Imperatriz Luís Moura (hoje preso em São Luís na companhia de sua mulher e cúmplice Ilce Gabina) e pelo coronel José Rui Salomão Rocha (já falecido) a “Operação Tigre” foi desencadeada em 1990 em Imperatriz e municípios vizinhos, a pretexto de combater ao banditismo.

Sabe-se que vários pistoleiros e assaltantes foram presos ou mortos na operação, que recebeu do então governador João Alberto “carta branca” para agir. No entanto, até hoje nunca se apurou a fundo quantos foram torturados ou mortos na condição de simples suspeitos.

Essa história poderia começar a ser passada a limpo pelo Ministério Público e pela sociedade civil organizada, para que nunca mais Imperatriz tenha o título de “capital da pistolagem” e comece a ser conhecida como “capital da paz”.

Segue abaixo texto muito esclarecedor publicado em 2005, quando da morte do coronel José Ruy Salomão Rocha, chefe da operação no Maranhão. Exemplo de uma reportagem bem feita escrita por Walter Rodrigues, o texto traz elementos pertubadores de como se deu a articulação de uma das maiores chacinas ocorridas no Maranhão.


O SILÊNCIO FINAL DO "TIGRE"
Por WALTER RODRIGUES S. Luís (MA), 4/12/2005

Morreu o coronel que comandou a matança de 200 em Imperatriz

Morreu do coração na última quinta-feira (29), em Fortaleza, Ceará, um dos homens mais duros, valentes e controversos da Polícia do Maranhão. Chefe militar e símbolo da mais famosa operação de extermínio de bandidos já realizada no Brasil, a Operação Tigre, ordenada em 1990 pelo ex-governador João Alberto (PFL, hoje no PMDB), o coronel José Ruy Salomão Rocha levou para o túmulo alguns segredos que possivelmente nunca serão revelados.

Um deles: quantas pessoas realmente foram mortas pela PM e pela Polícia Civil na operação? Até que ponto o Governo sabia das chantagens, extorsões e roubos de carros praticados pela equipe do delegado Luiz Moura naquele período? Quantos sabiam que parte da PM usava a operação de “combate ao crime” para cometer homicídios de aluguel e assaltos também?

Leia na íntegra clikcando aqui

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

Anônimo disse...

A OPERAÇÃO TIGRE FOI SEM DÚVIDA ALGO QUE MARCOU E QUE AINDA MARCA O POVO MARANHENSE,PENA QUE ATÉ HJ NINGUÉM QUIS FAZER NADA A RESPEITO,JOÃO ALBERTO FEZ E APRONTOU E DÁ NA MESMA,QUANTAS FAMILIAS CHORARAM NESSE ANO,QUANTAS CRIANÇAS FICARAM ÓRFÃS?PELO AMOR DE DEUS SE UNAM,JOÃO ALBERTO TEM QUE SER PRESO!!

Anônimo disse...

depende

do caso se pensamos como hoje que o povo maranhense esta vivendo com o bonde dos 40 devia volta. nao e com maldade que eu estou falando mais sim com medo caro que eles dever ver a ficha criminal . para não punir pessoa inocente . só um desabafo

Anônimo disse...

Direitos Humanos não acaba a criminalidade e nem corre atrás de bandidos, simplesmente coloca bandidos na rua afirmado em alguém. DHU.
Foi necessário a operação, caso ela não tivesse ocorrido hoje o Maranhão era pior que o RJ.

adene carlos dos santos santos disse...

Parabéns à operação Tigre, já está mais que na hora de voltar uma nova operação desse tipo o Maranhão está mais que necessitado.

adene carlos dos santos santos disse...

Parabéns à operação Tigre, já está mais que na hora de voltar uma nova operação desse tipo o Maranhão está mais que necessitado.