Encontro dos Vereadores com Flávio Dino movimenta vida política em Imperatriz


Provocou aplausos dignos de nota a iniciativa de reunirem-se governador Flavio Dino e vereadores de Imperatriz em torno de agendas propositivas para os  problemas em que vive a cidade. 

Como era de se esperar causou também enorme ciumeira em certos círculos políticos Maranhão adentro. É que em véspera de eleição muitos oportunistas visualizam quaisquer movimentações como sendo em perspectiva para 2018.

Não obstante, há de se ponderar sobre a enorme fragilidade e o caos na máquina pública de Imperatriz. Ruas destruídas, saúde na UTI por falta de expertise administrativa e até arroubos de prepotência contra o legislativo local.  Nesta disputa, só quem perde é o povo. 

Os saudosos do passado querem imputar ao governo estadual as mazelas historicamente acumuladas e querem resolução imediata de todos os problemas. E aí entra nessa conta até as "unhas encravadas" de caciques políticos e suas vaidades.

Nos mais de trocentos grupos de whatsup que debatem a política, uma grande maioria achou a iniciativa muito boa e aqueles mais "apaixonados pelo passado" regurgitaram meias verdades proferidas ao vento como se não houvesse legitimidade alguma em um governador comprometido com as causas do seu povo reunir-se com as lideranças políticas em busca de saídas para o caos que aí está.

São propagadores ideológicos da lógica do "quanto pior melhor". E aqui por "ideologia", entende-se o conjunto de ideias que busca encaixar uma realidade à sua visão teórica universalmente e para todo o sempre. Boa parte desta fauna da política maranhense é formada de "viúvas" do sarneysmo. Ou são "formadores de opinião" que ao perderem suas antigas beneficies, criam factoídes e meias verdades, utilizam-se de falsas informações. 

Vale lembrar que a oposição quando qualificada é importante para o bom andamento da mecânica democrática. Porém enquanto se fica na superfície, na epiderme da política, os complexos problemas da sociedade e do País ficam sem respostas concretas por parte destes que estão a exigir tudo ao mesmo tempo agora. 

A exemplo da reforma da previdência que está sendo votada no Congresso e é a prova irrefutável de que as elites deste país querem que o povo se dane. Nestas horas a gente percebe e se convence ainda mais que esta elite (corporações capitalistas, grandes meios de comunicação, castas políticas) precisa ser combatida e derrotada na sua raiz. Enquanto tiverem força política, estarão tentando nos impor a barbárie, a fome e a dor, para satisfazem seus privilégios. 

Ao invés de se revoltarem contra isso, alguns críticos aloprados preferem bater num governador comprometido com a causa do seu povo. Francamente!

Comentários